Sou Chiu Yi Chih (邱奕智), chinês naturalizado brasileiro, professor de mandarim (aulas particulares e grupos) e professor de filosofia chinesa clássica no Centro Cultural de Taipei e na Faculdade EBRAMEC (Escola Brasileira de Medicina Chinesa). Sou também tradutor, poeta, performer, filósofo e praticante de Tai-Chi. Fiz mestrado em Filosofia Antiga (USP) com a dissertação "A felicidade na pólis excelente de Aristóteles" e graduação em Letras (Português/Grego Clássico-USP). Publiquei um livro de poesias “Naufrágios” (Multifoco-2011), um livro de ensaios filosóficos e poemas “Metacorporeidade” (Córrego-2016) e a tradução do clássico chinês taoísta "Dao De Jing" (Mantra-2017). Dei palestras e cursos em instituições como Faculdade EBRAMEC, Espaço Tapera Taperá, UNICAMP, Instituto Mandarim Yuan De, Centro Cultural de Taipei, UNIFESP, Casa das Rosas, Centro Cultural Vergueiro, FLIPOÇOS, La Cabane, USP, dentre outros. 

Devo meus trabalhos ao professor Chiu Si Yuan. Além de ser meu pai, ele é o mestre que atualmente me orienta nos estudos do mandarim antigo/moderno e na minha pesquisa do Taoísmo. Atualmente estou traduzindo a obra do pensador taoísta Zhuangzi, acompanhado por suas instruções depois de ter sido orientado por ele nas traduções de Laozi e Liezi. 

 

Desde minha viagem de imersão à Taiwan em 2014 a convite do Centro Cultural de Taipei  - que foi um marco decisivo para minha vida - , venho pesquisando novas possibilidades de educar, pensar e ser num mundo cada vez mais complexo a partir da interdisciplinaridade propiciada pela visão holística do Taoísmo e do Neoplatonismo. Lendo no original chinês e grego clássico as obras de Laozi e Plotino, encontrei semelhanças no que se refere ao pensamento sistêmico em ambos autores. Desde então, o livro clássico taoísta "Dao De Jing" do sábio Laozi que traduzi mudou completamente (e continuamente está mudando) minha visão de mundo. Meus poemas e ensaios da Metacorporeidade se relacionam com as Enéadas de Plotino e o "Dao De Jing" de Laozi. Além de ser um livro estudado e comentado por diversos pensadores chineses, o "Dao De Jing" é um livro cultuado não somente no mundo oriental como também no mundo ocidental. Dado o seu caráter de universalidade, o livro abrange questões as mais variadas: origem do mundo, ética, ecologia, corpo, interdisciplinaridade, linguagem, arte, cultura, liberdade, morte, poder, sabedoria, amor, espírito feminista, política, valor da vida, saúde, espiritualidade, conhecimento, meditação e tantos outros. Esse livro é uma ferramenta valiosíssima para compreender a língua e a cultura chinesa (e também a si mesmo). Daí a minha paixão de dar aulas e palestras, escrever ensaios e poemas, e realizar performances artísticas visando uma releitura contemporânea desse grande clássico.

Além do "Dao De Jing" em si, atualmente minha pesquisa se divide em três partes. A primeira parte se concentra na leitura e tradução de textos originais antigos dos três principais pensadores do Taoísmo que são Laozi, Zhuangzi e Liezi, e na compreensão do seu pensamento holístico a partir da intertextualidade e de seu diálogo com a arte. Amparado no conhecimento da língua antiga chinesa, utilizo os textos chineses dos primeiros comentadores ao Dao De Jing.

A segunda parte se foca na tradução do livro "A arte da guerra" de Sunzi a partir de seu texto original chinês com estudo pragmático e filosófico das estratégias pessoais, buscando aprofundar o autoconhecimento e autoavaliação de situações, com o objetivo de enfrentarmos as vicissitudes da vida.

A terceira parte pesquisa as relações de semelhança entre Taoísmo e Budismo, no sentido de assimilar suas características essenciais para que possam dialogar com os problemas do mundo contemporâneo, levando em consideração a ética prática, a transdiscipinaridade, e sobretudo, o conceito que criei e que chamo de "transmaterialização". Daí uma releitura dos textos mais proeminentes do Budismo Chan - precursor do Zen-Budismo Japonês - como Sutra do Diamante, Ensinamentos do primeiro patriarca Bodidharma, Confiança na Mente do terceiro patriarca Seng Can, Sutra da Plataforma do sexto patriarca Hui Neng, Canto da Iluminação do mestre Yong Jia, Lankavatara Sutra e Surangama Sutra acompanhados pelos comentários de mestres atuais como Xing Yun, Jing Kong e Pu Xian.

Atualmente estou elaborando minha concepção filosófica "Metacorporeidade" (气质变化 - qizhibianhua) e estudando obras taoístas como "Huainanzi" (Mestres de Huainan), "Wunengzi" (Mestre da Potência do Vazio), "Nutrir a natureza e prolongar a vida" de Tao Hong Jing, "Raízes da Sabedoria" de Hong Ying Ming, "Tratado do Sentar e Esquecer" de Sima Cheng Zhen. Além disso, ao pesquisar e dialogar com o pensamento de Zhuangzi, Guanzi, Mozi, Confúcio, Mêncio, Xunzi, Han Feizi e filósofos ocidentais como Deleuze, Foucault, Platão, Plotino, Merleau-Ponty, Nietzsche, estou sempre fazendo uma releitura desses clássicos. Isso porque que a cada momento minha própria concepção de "Metacorporeidade" está se reatualizando e interagindo com os problemas contemporâneos de nosso mundo que está em constante transformação.


 

 
 

 

AULAS DE MANDARIM

Nas aulas de mandarim, ensino a falar, escrever e ler a língua chinesa utilizando o livro "Chinês Contemporâneo" (当代中文 - dangdai zhongwen) com seu respectivo "Caderno de Exercícios", material recomendado pelo Instituto Confúcio da UNESP e publicado pela SINOLINGUA em Beijing (China). Tenho certificado de treinamento de uso de materiais de ensino de língua chinesa e metodologia pelo Instituto Confúcio-UNESP (2013). Minha didática envolve aspectos da cultura e da filosofia chinesa que são abordados em aula como estímulos de aprendizagem. Além do livro, utilizo outras dinâmicas com situações práticas (compra, trabalho, viagem etc).  

AULAS, WORKSHOPS E PALESTRAS DE TAOÍSMO


Os cursos, workshops e palestras de Taoísmo têm o objetivo de abordar o pensamento taoísta em seus princípios fundamentais. Na medida em que traduzo diretamente para o português os capítulos escolhidos do "Dao De Jing" (道 德 經) - livro clássico do taoísmo - ofereço aos ouvintes um contato vivo com a fonte da sabedoria chinesa. Essas atividades são oferecidas para diversas instituições e proporcionam aos brasileiros uma compreensão ampla das particularidades da cultura milenar chinesa.

 

As discussões nas aulas são complementadas com reflexões dos primeiros mestres taoístas Zhuangzi e Liezi, dos comentadores clássicos ao Dao De Jing que são Heshang Gong (séc. I d.C.), precursor da meditação taoísta e dos "três tesouros" (essência, sopro vital e espírito), Wang Bi (226-249 d. C.), filósofo neo-taoísta da Escola do Mistério que exerceu uma influência significativa nas modernas interpretações tanto no mundo asiático como no mundo ocidental e Zhang Dao Ling, fundador da famosa tradição "Caminho dos Mestres Celestiais" e da primeira religião taoísta "União Ortodoxa" (Zhengyi). Minha metodologia inclui comentários de professores de filosofia chinesa atual como Chen Gu Ying (Beijin University), Zhao Ping (Jilin University), Wang Bang Xiong (National Taiwan University), dentre outros.

 

Ao longo do processo de aprofundamento, dentro da tradição clássica, são discutidos os princípios taoístas da obra-prima Guanzi (VII a.C.), sobretudo a partir de seus capítulos Xinshu (Arte da Mente) e Neiye (Cultivo Interno) que representam as primeiras fontes textuais sobre o cultivo do vazio interior e a meditação taoísta. Aborda-se também o livro "Os Mestres de Huainan" (139 a.C.), coleção de ensaios escritos por um grupo de sábios e pensadores reunidos na corte do rei Liu An, que sintetiza os ensinamentos de Laozi e Zhuangzi. A Naturalidade da Não Ação é amplamente discutida no "Mestre da Potência do Vazio" (887 d.C.) e a concepção da auto-transformação (自化- zihua) é abordada pelo filósofo Guo Xiang (séc. III d.C.), um dos pensadores do Neo-Daoísmo e primeiro comentador do Zhuangzi.

Discuto as reflexões do filósofo Hong Ying Ming (séc.XVI) em seu livro "Raízes da Sabedoria" que sincretiza as correntes do taoísmo, budismo e confucianismo e os comentários ao "Dao De Jing" do taoísta-budista Su Zhe (1039-1112 d.C.), complementando com os livros "Nutrir a natureza e prolongar a vida" da tradição "Claridade Suprema" (Shangqing) do mestre Tao Hong Jing (456-536) e "Iluminação Real" de Zhang Bo Duan (960-1127), clássico da Alquimia Interna (内丹 - neidan). 

 

Em outros cursos, abordo também a confluência entre taoísmo e budismo no período medieval através de textos clássicos do Cânon Taoísta (道藏- daozang), como aqueles da Escola do Duplo Mistério (重玄派- chongxuanpai). Seus ensinamentos interessantíssimos e pouco conhecidos no Brasil mesclaram elementos do budismo Mahayana e da tradição taoísta. Textos preciosos dessa tradição sincrética como "Clássico da Ascensão ao Mistério", "Clássico da Contemplação Interior", "Clássico da Pureza e do Silêncio" tratam da meditação (定 - ding), do cultivo do Sopro Primordial (元气 - yuanqi), da alquimia interna (内丹 - neidan), da prática da longevidade (长生 - chang sheng) associados com a contemplação (观 - guan) e o retorno à Natureza Interior (本心- benxin). Quando realizo comparações entre taoísmo, confucionismo e budismo chinês, analiso as especificidades de cada corrente sempre contextualizando as correntes de pensamento. Comparo Confúcio, Mêncio, Xunzi da tradição confuciana com os sutras budistas da Tradição Mahayana que exerceram influência no budismo chinês como Sutra da Plataforma (Budismo Chan que originou o zen-budismo japonês e a prática da meditação), Sutra do Coração, Sutra do Diamante e Sutra da Vida Infinita. 

 

  PALESTRAS

 

   No momento atual, ofereço 6 palestras cujos temas são:

 

1) Filosofia do Vazio Perfeito em Liezi

No livro “Vazio Perfeito” de Liezi, reconhecemos que há uma lei natural na qual se inclui a dimensão da existência humana. Compreender essa lei suprema natural é alcançar uma visão ampliada e holística do Todo. Significa que por detrás de cada fenômeno de mudança, é possível reconhecer um Princípio Imutável – que Liezi chama de “Inegendrado” – que transcende a realidade mutável, efêmera e ilusória das coisas. Segundo Liezi, esse Princípio Imutável, que não é senão o próprio Caminho (Dao), a lei da Geração e Mutação de todos os seres. Falaremos sobre a visão filósofica de Liezi numa aproximação entre Budismo e Taoísmo no sentido de que as suas estórias irônicas e paradoxais anteciparam os célebres koans do Budismo Chan chinês (precursora do zen-budismo), justamente por ultrapassarem os limites estreitos da mente lógica mundana.

 

 

2) A meditação no Clássico da Pureza e do Silêncio 

 

 

Abordarei a confluência entre Taoísmo e Budismo através do "Clássico da Pureza e do Silêncio" (escritura taoísta-budista) que nos revela como é fundamental a prática da meditação (定 - ding) nos tempos atuais para a saúde mental e física no contexto do cultivo da Vida, sobretudo, para aqueles que praticam Tai Chi, Qi Gong, práticas marciais e corporais etc. Seus ensinamentos interessantíssimos e pouco conhecidos no Brasil mesclaram elementos do budismo Mahayana e da tradição taoísta.

3) A concepção do Dao em Laozi

 

Como o mestre taoísta Laozi elabora a noção do Dao (道- dào) em seu clássico Dao De Jing no que diz respeito ao cultivo do Sopro Vital (气– qì), e sobretudo, no sentido de harmonização das energias Yin (阴 - yin) e Yang (阳) em estreita correlação com a metafísica transcendente-imanente do Vazio (无 – wú)? 

4) A ética humanista de Confúcio

Buscaremos refletir sobre a ética humanista de Confúcio a partir de suas noções de Benevolência (仁 – rén) e Retidão (义 – yì). Como redimensionar a sua crítica aos valores egocêntricos na atualidade?

5) A eficácia do Tao e do homem sábio

No seu livro "Dao De Jing", Laozi fala sobre o "sábio" que age pela Não-Ação, e por isso, realiza suas ações com eficácia, atingindo a autorrealização do Caminho. Qual é o fundamento dessa concepção e suas implicações? De acordo com a nossa lógica pragmática, isso pareceria um absurdo, já que agimos por meio da intencionalidade com vistas à fins e resultados. É necessário esclarecer que agir sem agir não significa "inércia", mas sim uma atitude de não-interferência e de seguir a naturalidade. 

6) Taoísmo: por um Caminho da Naturalidade

Como o pensamento chinês de Laozi introduz a noção do Caminho da Naturalidade? Durante nosso encontro, abordaremos a ordem natural implicada nos diversos fenômenos como a mudança das estações, o nascer e pôr do sol e também na própria existência humana. Nesse processo de transformação, todas as coisas se realizam de acordo com a interdependência. Nada existe de modo separado, porque todas as partes se correlacionam e se integram numa totalidade. Como pensar de modo holístico que tudo o que existe na natureza se move numa interrelação dinâmica regulada por mudanças cíclicas e constantes?

5) Corpo vital em Laozi e na Metacorporeidade

A união fundamental entre homem e natureza se dá através do cultivo da virtude e do cuidado de si. Se o homem deseja se harmonizar com a natureza e consigo mesmo, é necessário que preserve a pureza de sua essência vital para que possa renovar a vitalidade de seu corpo. No decurso de sua existência, nosso corpo acumula tensões e bloqueios impedindo a circulação da energia vital. É por isso que, nesse processo de esgotamento energético se torna enrijecido. O excesso conduz ao desgaste. No entanto, é possível revitalizarmos nossos fluxos de energia por meio da meditação, tai chi chuan e exercícios de respiração profunda. Essa concepção de Laozi não implica sobrevalorização do corpo no sentido de satisfazê-lo em seus desejos excessivos e tampouco a sua desvalorização, uma vez que o corpo é a nossa fonte de energia inesgotável. Na Metacorporeidade, pesquisamos as pulsões vitais que fluem através do corpo por meio de movimentos sutis e suaves que ativam a circulação de nossa energia.

***Cada palestra possui duração de 1h 30 min com tempo de discussão de 30 min. A escolha de um dos temas da palestra acima pode ser realizada de acordo com o perfil da instituição (seu projeto atual, etc).   

   WORKSHOP

Corpo vital em Laozi e na Metacorporeidade 

No livro "Dao De Jing", Laozi sublinha a importância do retorno ao estado de ser do recém-nascido para que alcancemos nossa potência vital. No decurso do workshop mostraremos como se concebe a noção de um corpo flexível, espontâneo, aberto aos fluxos vitais e harmonioso com a natureza. Nesse processo de interlocução com Laozi, introduziremos nossa própria concepção da "Metacorporeidade" desenvolvida pelo LOZ através do processo de hibridização das linguagens como poesia, performance e escultura. Essas artes em sua interrelação se utilizam do corpo enquanto signo de potência de fluxos e matéria fundamental no processo de autoconhecimento.   

 

O workshop tem duração de 2 dias e se divide em duas partes. A primeira parte abarca estudo dos capítulos escolhidos, discussão e interação entre os alunos. Focaliza-se no estudo/análise do pensamento de Laozi com ênfase na sua concepção de corpo vital. A segunda parte pretende expor a relação da "Metacorporeidade" com o pensamento de Laozi por meio da prática de Tai Chi e da leitura e análise do capítulo "Corpo vital em Laozi e na Metacorporeidade" do nosso livro "Metacorporeidade" (Editora Córrego).

FORMAÇÃO:

MESTRE EM FILOSOFIA (USP) – Tese de mestrado: A eudaimonia na pólis excelente de Aristóteles. Bolsista CAPES. Início: janeiro de 2006. Término: outubro de 2009;
BACHAREL EM LETRAS (USP) – Habilitações GREGO-PORTUGUÊS. Início: fevereiro de 2000. Término: julho de 2005;
INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM FILOSOFIA (USP) – Estudo do Livro VI da Ética a Nicômaco. Bolsista CNPQ. Início: agosto de 2004. Término: julho de 2005.
TREINAMENTO DE USO DE MATERIAIS DE ENSINO DE LÍNGUA CHINESA E METODOLOGIA – Instituto Confúcio-UNESP (2013)

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL:

Ensinei mandarim no Instituto Mandarim Yuan De (2006-2009);
Dei aulas particulares de mandarim (2009-2013);
Fui intérprete de mandarim-português autônomo (2013-2016);
Sou tradutor mandarim-português da Editora Mantra desde 2016;
Ministro no Centro Cultural de Taipei cursos de Taoísmo desde 2017;

Sou professor de mandarim na empresa "Solte o verbo! Línguas estrangeiras" (2019)

IDIOMAS


Fluência na leitura instrumental: francês, inglês, espanhol e grego clássico;
Fluência na leitura/conversação/escrita: mandarim e português.

ATIVIDADES, CURSOS E PALESTRAS REALIZADAS:

Palestra: A pólis e a eudaimonia em Aristóteles no X Colóquio do Centro do Pensamento Antigo na UNICAMP com o tema Margens do passado: estudos clássicos e a construção da diferença (2009);
Palestra: A felicidade em Platão e Aristóteles no Instituto Anima de Sophia (2010);
Palestra: A contemplação em Aristóteles e Laozi na II Jornada Internacional de Medicina Tradicional Chinesa I Seminário Brasil-Taiwan de Estudos Clássicos Chineses (2010);
Palestra: A educação para o ócio e o papel pedagógico da música em Aristóteles no I Simpósio Regional de Filosofia Antiga na UNISO (2011);
Palestra: A noção humiana de imaginação em Gilles Deleuze no Colóquio Deleuze: leitor dos modernos (2010);
Palestra: A Razão e o Dao Antigo na III Jornada Internacional Brasil-Taiwan de Estudos Chineses e Medicina Chinesa (2013); 
Palestra: Dao de Jing no VI Congresso Brasileiro de Medicina Chinesa na EBRAMEC (2017);

Palestra: Dao De Jing na concepção de Wang Bi e Zhang Dao Ling no II Encontro NUR/UNIFESP de Filosofia Islâmica, Judaica e Oriental na UNIFESP (2017);

Curso: A visão de existência em Laozi no Centro Cultural de Taipei (2017);

Curso: A filosofia do Dao De Jing no Centro Cultural de Taipei (2018);
Palestra: A filosofia milenar taoísta e a Metacorporeidade no Festival Literário (FLIPOÇOS) em Poços de Caldas (2018);

Curso: Caminho Taoísta no Centro Cultural de Taipei (2018);

Palestra: A concepção do Dao em Laozi no Centro Cultural de Taipei (2018);

Curso de Pensamento Chinês Clássico na UNIFESP (2018);

Por que estudar chinês? na EBRAMEC - Escola Brasileira de Medicina Chinesa (2018);

Por que o corpo importa? Metacorporeidade à luz do Taoísmo - Espaço Tapera Taperá (2019);

Curso de Daoísmo: harmonia entre corpo e espírito no Espaço Tapera Taperá (2019).

Palestra - Dao De Jing aplicado - na Faculdade EBRAMEC (2019)

Palestra - Taoismo e Metacorporeidade no CAPS (2019)

Curso: Cultivo da Energia Vital e Meditação no Espaço Tapera Taperá (2019).

PUBLICAÇÕES E IMPRENSA:

Naufrágios – meu livro de poemas (Editora Multifoco-2011);
Entrevista para TV Chinesa Hong Guan (2011);
Entrevista para TV São Judas (2011);
Entrevista para Revista TPM (2011);
Deleuze Hoje – coletânea de ensaios com minha participação - Editora FAP-UNIFESP (2014);
Matéria na Revista Macau (2013);
Metacorporeidade – meu livro de ensaios e poemas (Editora Córrego-2016);
Textos de Zhuangzi – minha tradução para Revista Zunái (2017);
Poemas chineses – uma seleção de meus poemas com versão mandarim-português na Revista Zunái  (2017);
Dao De Jing – livro do clássico chinês Laozi na minha tradução pela Editora Mantra (2017).
Seleção de capítulos do Dao De Jing – minha tradução para Revista Musa Rara (2017);
Corpo vital em Laozi e na Metacorporeidade – meu ensaio na Revista Brasileira de Medicina Brasileira;
Entrevista para TV Chinesa Hong Guan (2017);
Metacorporeidade – meu ensaio em versão mandarim-português para Revista Zunái (2017).
Entrevista para Rádio Observatório Cultural (2018);

A filosofia de Laozi - Revista Daojia (2018);

Poemas de Wang Wei na Revista Zunái (2019);

Textos do livro "Vazio Perfeito" de Liezi na Revista Daojia (2019)

Poema "Buda-Exu" (versão português-inglês) - Revista Brasileira Contemporânea Saccades (2019)

Capitulos do Dao De Jing em versão bilingue na Revista Chinesa Brazilhr (2019)

LINK PARA MINHA TESE DE MESTRADO (USP):

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-03022010-131909/pt-br.php